UX Design

Contratei um Designer de Produtos, e Agora?

Muitos designers falam que sua função é a de resolver problemas.

Embora isso seja verdade, não é o dever de toda profissão resolver problemas relacionados ao seu ofício?

- Um veterinário resolve problemas com animais.

- Um dentista resolve problemas com saúde bucal.

- Um professor de matemática resolve problemas.

E consequentemente, cada disciplina resolve um problema referente à sua especialidade.

Quer dizer que um designer resolve problemas relativo ao design? Sim, de certa forma. Mas o que seria design? Arte, estética, beleza, gráficos?

De acordo com o dicionário Oxford, design é:

a concepção de um produto (máquina, utensílio, mobiliário, embalagem, publicação etc.), esp. no que se refere à sua forma física e funcionalidade.

Ou seja, umas das definições de design é sobre projetar algo, criar um produto, físico ou digital.

Então podemos entender que o designer resolve problemas relacionado à concepção de um produto, certo? Se o seu produto não está performando como gostaria, se os usuários estão reclamando, se as pessoas estão clamando por uma nova funcionalidade que seu concorrente tem e você não, quem você chama para resolver esse problema?

Sim, o designer.

Contratei um designer para deixar meu produto mais bonito

Fonte: foto por freestocks em Unsplash

Esse é um dos maiores motivos pelo qual um cliente nos procura. Não tem nada de errado nisso, afinal, nós designers conseguimos embelezar as coisas. Contanto que embelezar alguma coisa vá resolver um problema que você tem.

Quantas vezes não ouvimos alguém dizer: "criamos o produto há muito tempo, mas está feio. Queremos modernizar ele".

Tem tantas perguntas que um designer pode fazer aqui pra ajudar o cliente. A questão é: ok, conseguimos modernizar ele (primeiro temos que entender o que o cliente quer dizer com modernizar), mas qual a finalidade disso?

Será que entender o impacto que o visual do produto causa nos usuários não seria um bom ponto de início? O visual realmente é algo a ser priorizado agora, ou temos outros problemas mais urgentes? Você, cliente, é o único que tem que gostar da nova aparência ou ela tem que agradar apenas seus usuários?

Essas e outras perguntas um designer pode te ajudar a responder. Você contratar um designer apenas para embelezar o seu produto é como contratar o Mozart para te ensinar a tocar Brilha Brilha Estrelinha. Ele consegue, mas você não vai estar aproveitando de todo o potencial dele.

Contratei um designer porque ouvi dizer que toda equipe tem um

Quem nunca, né? Fazer o que alguém mais sucedido que você está fazendo é uma fórmula prática e funciona pra quem não sabe muito bem onde está indo.

E dependendo do designer, ele vai conseguir contribuir muito para o seu produto!

Quando conversamos com Startup, elas geralmente tem entre 2~3 fundadores.

  • A pessoa que teve a ideia;
  • A pessoa que vai desenvolver a ideia;
  • Um extra, que pode ser alguém que é especialista no segmento onde essa ideia vai atuar ou, muitas vezes, um designer.

E isso é ótimo! Ter um profissional capacitado a mais no desenvolvimento do seu produto não pode ser ruim, né? A não ser que você esteja pagando por um que não está contribuindo como deveria ou pior, está atrapalhando o processo.

O processo de ter uma ideia, uma solução, a partir de um problema que você vive todo dia é algo extasiante. Você se enche de orgulho, imagina um futuro grandioso de sucesso e regalias, bate uma pequena ansiedade de tudo que você pode conquistar se ela dar certo e é impulsionado por uma motivação que até então nunca soube existir dentro de você.

Acontece que se você investir muito tempo, dinheiro e suor em cima dessa ideia, sem sequer ter validado ela, conversando com usuários em potencial, analisado a aceitação do mercado se eles pagariam por sua solução, você pode subir essa montanha russa da alegria, mas descer dela sem cinto de segurança quando as coisas não forem como você imaginava. E como falamos em um post no Instagram sobre Aversão à Perda, perder algo dói muito mais do que ganhar alguma coisa equivalente.

E o que o designer tem a ver com tudo isso?

Se você vai inserir um desde o começo, use-o desde o começo! Um design de produtos pode ter em seu leque de habilidade o UX Research, que é a pesquisa. Então ele pode validar a ideia conversando com pessoas que fazem parte do seu público-alvo. Fazer análise de concorrência entendendo o que seus concorrentes entregam hoje que funciona e qual o motivo de usuários darem uma estrelinha na review. Estudar o mercado e ver se tem espaço para sua ideia se desenvolver, nutrir e crescer. Entre muitas outras questões antes de você investir seu sangue e suor numa ideia que está fadada ao fracasso desde o começo.

Então ao invés de só ter um designer no time porque todo mundo tem ou porque você quer deixar sua ideia com um visual lindão para atrair olhares, aproveite do leque de habilidades para mitigar seus riscos no lançamento de um produto.

Contratei um designer de produtos porque tenho um problema real

Fonte: foto por NeONBRAND em Unsplash

Ok, começamos bem agora!

Qual problema? Engajamento? Muito chamados de suporte? Baixa conversão? Muitos abandonos de carrinho, site ou churn?

Uma ou mais das alternativas anteriores? Ótimo! Bora procurar soluções!

Cada designer vai ter uma metodologia ou processo diferente, mas com um destino em comum, resolver esse problema. Então com todas sua ferramentas e capacidade criativa, ele descobre a raiz do problema, faz sessões de design thinking, conversa com todos os interessados do assunto, faz card sorting, crazy eight, mash-up, (coloque um nome aqui de técnicas de design) e por fim cria um protótipo da solução.

Você pega esse protótipo, implementa ele e diz tchau pro designer, beijo!

Ae, maravilha! Processo ideal, usando todo o potencial de um designer de produtos, certo?

Não!

Primeiro, por mais fera que o designer seja, ele não pode desenvolver soluções a partir da própria perspectiva e experiências. Jared Spool, especialista em assuntos de design e usabilidade, diz que esse tipo de designer é chamado de Genius Design, quando um designer ou uma agência tem tanta experiência numa área, que ela considera que a mesma solução aplicada vai providenciar os mesmos resultados. Não é bem assim. Se fosse, não existiria disrupção no mundo.

Então ele precisa envolver usuários, tem que ter testes! Quis criar hipóteses de soluções internamente sem envolver o usuário do produto? Não tem problema. Crie, faça protótipos, o trabalho é bem mais rápido do que desenvolver tudo. Mas com o protótipo pronto, coloque nas mãos dos usuários, colete feedback, observe a forma como ele usa seu produto, as dificuldades que ele têm e as sugestões. São insights riquíssimos que podem melhorar muito o seu produto por um esforço mínimo.

Ok, testou com 8 usuários, refinou conforme os feedbacks, desenvolveu e lançou no mercado. Hora de dar tchau pro designer, beijo!

Calma aí, meu consagrado!

Você fez essas mudanças porque queria melhorar o engajamento dos usuários no seu produto e o protótipo mostrou que as pessoas se sentiram mais engajadas. Após lançar, 1 mês depois, as métricas mostram isso. O engajamento aumentou em 20%, as pessoas estão passando mais tempo dentro do produto e usando mais. Mas o faturamento não mudou, o que houve?

Outro problema. Você só engajou quem já era usuário do produto, mas isso não motivou novos usuários a se cadastrarem ou pagarem por ele. 

Não tem problema, vamos chamar o designer para nos ajudar com isso… pera, cadê ele? Ah é, você disse tchau.

"Ah, mas foi ele que não resolveu o problema direito". Gente, se qualquer profissional pudesse garantir resultados no serviço, o mundo seria um lugar lindo. Mas você sabe que não funciona assim.

Aliás, é nesse momento que um designer de produtos brilha. Ele sabe que necessidades, desejos e exigências de usuários estão constantemente evoluindo e o seu produto que atende todas as vontades dele hoje, pode não atender amanhã. Para isso, precisamos pensar em novos formatos de interagir, engajar e dar valor aos usuários. Constantemente, frequentemente e diariamente.

Então na próxima vez que contratar um designer de produtos, use e aproveite de todo o seu potencial. O trabalho só é finito se sua empresa for finita, e não imagino que você queira que sua empresa acabe um dia, certo?

Quero conteúdos no meu email!

Obrigado! Em breve, irá receber conteúdos de branding.
Oops! Algo deu errado. Tente novamente mais tarde.
ler Outros artigos

Vamos conversar?

enviar mensagem